terça-feira, 22 de novembro de 2016

DEIXE A SUA CASA NAS NOSSAS MÃOS!!!


Tem imóveis para vender ou alugar?
A Casas & Properties Mediação Imobiliária tem à sua disposição uma série de ferramentas que permitem levar o seu imóvel a um grande número de potencias clientes, tanto em Portugal como no estrangeiro.
Começamos pelos nossos dois sites www.casas-properties.com e www.casas-properties.pt com uma imagem cuidada e apelativa, com um interface fácil, simples e direto, traduzido em vários idiomas.
Estamos também em todas as redes sociais disponíveis no mercado com uma vasta lista de contactos adicionados.
Somos clientes da Imoguia e do Portal Casa Sapo e Imovirtual, dois dos melhores e mais conhecidos do País.
Exportamos os nossos imóveis para o Portal Imobiliário Belga Immoweb sediado na Bélgica.
Temos parcerias com os principais bancos portugueses onde colocamos os nossos produtos.
Temos um trabalho profundo e sistematizado em todos os portais de anúncios no país e no estrangeiro.
Publicamos frequentemente nas revistas e jornais da especialidade.
Lançamos frequentemente campanhas de marketing em papel, na nossa montra e em flyers com os produtos que nos vão chegando.
Como resultado deste empenhado trabalho de divulgação e ações de marketing, temos em carteira um variadíssimo leque de clientes em lista de espera para produtos imobiliários, que quem sabe podem ser os seus.
Temos um acompanhamento personalizado para todos os nossos clientes e imóveis.
Também fazemos parte da prestigiada rede de contactos empresariais que se dá pelo nome de BNI, um grupo de pessoas e empresas que trocam entre si experiências, conhecimentos, contactos, negócios, onde recebemos formação constante e onde expomos os produtos que temos no nosso portefólio, o BNI tem ramificações em todo o mundo, pelo que todos podemos beneficiar desta organização para levar os nossos serviços ao mundo.
Entregue-nos os seus produtos para mediação!
Cada dia que passa é um dia que podia ser aquele porque tanto tem esperado.
Visite-nos em:  
Avenida Manuel Remígio , Edifício Atlântico, Loja 9
2450-106 Nazaré
Contacte-nos através do telefone:
(00351) 262 086 419
Mande-nos um email para:
Ou visite-nos nos sites:

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Crédito à habitação sobe em flecha


A concessão de crédito à habitação continua a crescer em flecha, depois da queda a pique registada durante o período da troika. Dados do Banco de Portugal mostram que nos primeiros sete meses do ano, os empréstimos concedidos pela banca para comprar casa cresceram 54% em relação a igual período de 2015: passaram de 2 mil milhões para 3,2 mil milhões de euros, denunciando uma tendência para o regresso à opção de ser proprietário. 

O valor continua, no entanto, muito longe do pico verificado em 2007, ano em que as instituições financeiras emprestaram quase 20 mil milhões de euros. 

Entre janeiro e julho deste ano, as instituições financeiras emprestaram uma média de 455 milhões de euros por mês. A manter-se o ritmo, 2016 poderá ser o primeiro ano em que os novos empréstimos vão recuperar para níveis de 2011, o da chegada da troika. 

Junho já deu o sinal: marcou o regresso a níveis pré-resgate, com os bancos a contratarem, só nesse mês, 587 milhões de euros de crédito à habitação. É preciso regressar a março de 2011 para encontrar um valor mensal maior: nesse momento, poucos meses antes da chegada da troika, as instituições bancárias emprestaram 598 milhões a particulares que queriam comprar casa. 

2015 com aumento recorde mas ainda longe dos valores de 2007 

Quando a comparação é feita entre anos inteiros, o cenário mostra um aumento ainda mais acentuado: em 2015 a concessão de crédito à habitação (4. mil milhões de euros) cresceu 73,5% em relação a 2014 (2,3 mil milhões). 

A concessão de crédito para comprar casa está, ainda assim, muito longe dos níveis registados até 2010. 

Os dados do Banco de Portugal (disponíveis apenas a partir de 2003) mostram que foi entre 2004 e 2007 que o sistema financeiro nacional mais emprestou dinheiro para a compra de habitação: o recorde foi atingido no ano final desse período, com empréstimos de quase 20 mil milhões de euros. 

Fonte: TSF


terça-feira, 4 de outubro de 2016

Cinco erros de decoração que toda a gente comete na primeira casa

Até os mais fiéis leitores da revistas de decoração têm dificuldades na hora de decorar a sua primeira casa.Vai finalmente ter o seu espaço, a sua casa. E aqui surge, entre muitos outros, um grande desafio: pôr as suas capacidades de decorador/a à prova.
E como destaca o site Yahoo Style nem meses a consultar revistas de decoração o podem preparar para a difícil tarefa de decorar a sua primeira casa. Conheça os cinco erros mais comuns para assim os poder evitar:
1. Comprar a mobília toda de uma vez. O entusiasmo de se mudar para uma casa nova pode fazer com que caia no erro de passar o dia em locais como o Ikea a comprar toda a mobília da casa. Pode parecer a melhor solução mas, de facto, o melhor é ir mobilando gradualmente a casa, para conseguir perceber os móveis que de facto funcionam bem na decoração e do que é que realmente precisa.
2. Achar que consegue fazer tudo sozinho. Pode achar que poupa muito dinheiro ao transportar e montar os móveis sozinho ou assentar o soalho, mas a verdade é que certas tarefas devem ser feitas por profissionais. Assim terá o trabalho bem feito e muito mais rápido, libertando-lhe tempo para tratar de outros pormenores importantes.
3. Ultrapassar o budget. Rebentar o budget num frigorífico vintage ou numa cama com dossel e depois ter de fazer um sofá com paletes não é uma gestão inteligente. Faça uma lista de compras restrita com as coisas que precisa e respeitando à risca o seu budget.
4. Atafulhar as paredes. Nada como fazer uma marca permanente nas paredes para sentir que a casa é mesmo sua. Quadros, espelhos, molduras ou papel de parede até são ótimos detalhes de decoração, só precisa de ter cuidado para não exagerar. Ter coisas em todas as paredes acaba por tornar o espaço mais pequeno e confuso.
5. Pôr tudo a combinar. Ter os móveis e a decoração toda a combinar – por exemplo, o quarto todo em tons de cinzento, com toda a mobília preta – acaba por datar bastante a sua casa. Tente misturar cores e padrões para dar um ar mais fresco e contemporâneo à sua casa. No caso das madeiras pode ser um pouco difícil porque nem todas ficam bem juntas, mas não tenha medo de experimentar.

Fonte: www.noticiasaominuto.com/lifestyle

quinta-feira, 29 de setembro de 2016

Estúdio de arquitetura propõe "casa pré-nupcial", que se separa em caso de divórcio

Um estúdio holandês de arquitetura criou o que pode ser uma solução para disputas de divórcio ou mesmo uma resposta para a necessidade de mais espaço quando a família aumenta: uma "casa pré-nupcial", que tem a capacidade de se dividir e de receber mais módulos.
A ideia é do estúdio OBA, com sede em Amesterdão. O fundador do estúdio, Vincent Ringoir, de 23 anos, disse à BBC Mundo que a inspiração veio do famoso jogo de computador Tetris, no qual os usuários precisam encaixar peças de formatos diferentes que caem do alto da tela.
Ringoir explica que a casa é composta de duas unidades que ocupam um total de 108 m² e que podem ser separadas, pois existe a possibilidade de instalar de forma "fácil, rápida e barata" outro quarto e/ou outra cozinha à unidade que ficar desprovida. O mesmo se dá com a casa de banho.
A ideia original foi de Omar Kibri, um profissional de relações-públicas amigo de Ringoir e que trouxe ao estúdio a proposta de comprar uma casa com a namorada e ter a possibilidade de dividi-la."Foi aí que desenvolvemos o desenho da que pode se partir em dois", explica Ringoir.
A "casa pré-nupcial" prevê, também, uma versão flutuante, algo que pode ser bastante útil para a Holanda, não apenas por causa da grande quantidade de habitações em seus canais, mas pelo fato de ser um país em que a taxa anual de divórcios é de 43%. No caso das habitações para água, cada unidade tem flutuadores independentes em caso de desmembramento.
Para que flutue com desenvoltura, a casa deve ser construída com fibra de carbono e madeira. Mas o maior desafio, segundo Ringoit, é que ela tenha identidade visual própria quando conectada e que mantenha a estética individual quando separada. Ainda no papel, a moradia tem início de produção prevista para fevereiro de 2017. Ringoir não confirmou o preço, mas assegurou que a casa "não será cara".
Fonte: http://noticias.bol.uol.com.br/

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Dicas de Decoração para Outono


O sol está menos intenso e o ar mais fresco, já não se abrem tanto as janelas e as camas já pedem cobertores e edredões… chegou o Outono! Além da inevitável preparação da casa para enfrentar os meses mais frios do ano, inspire-se numa das muitas ideias de decoração outonal, para tornar o seu espaço tão aconchegante quanto a estação, à qual acabamos de dar as boas-vindas.
1.     Ao contrário da Primavera e do Verão, o Outono pede cores mais ricas e aconchegantes, como os tons castanhos, laranjas, cobres, encarnados, amarelos, rubis e dourados, que podem ser facilmente incorporados em qualquer decoração através de cortinas, almofadas, capas de sofás e cadeiras, mantas, edredões, lençóis e toalhas (de cozinha e de casa de banho).
2.     Aproveite os maravilhosos dias solarengos de Outono para passear num jardim ou parque e apanhar muitas folhas coloridas. Leve para casa e utilize-as para mil e um projetos decorativos: emoldure-as em passepartouts pequenos ou grandes, expondo-os sozinhos ou em conjunto – ficam lindos agrupados na mesma parede ou sobre a lareira; encha uma jarra de vidro ou vários frascos com tampa de folhas secas e exponha na cozinha ou na entrada; com recurso a imãs ou a fita adesiva de dupla face, exiba as folhas de forma a cobrirem, por completo, um lado da geladeira.
3.     Se gosta de fotografia, desfrute dos dias outonais lá fora e tire fotografias de imagens típicas da época, para depois expor dentro de casa como se fosse uma galeria de arte, uma exposição pessoal do Outono visto pelos seus olhos.
4.     As abóboras são, sem dúvida, uma das grandes estrelas da estação e, enquanto elemento decorativo são extremamente versáteis: para decorar uma lareira (expostas no chão ou no topo da mesma); alinhadas no peitoril de uma janela; pintadas (com tinta acrílica, depois de lixados) em cores que combinem com o espaço onde vão ser exibidas; quem diz pintar, também diz enfeitar com fitas de cetim ou brilhantes; utilize um naperão (os modelos de papel utilizados para os pratos de bolos) para desenhar um efeito rendado sobre a abóbora ou um furador elétrico para com os buracos perfeitos, criar um efeito gráfico e contemporâneo; exponha as abóboras sobre peças inesperadas como uma taça de bolos com pé, uma terrina em estanho ou vulgares vasos de plantas (dentro ou virados ao contrário, sobre os mesmos); recorte as palavras “lar doce lar” ou “bem-vindo” numa abóbora de grandes dimensões, retire o recheio, coloque uma vela e exponha na entrada da casa. 
5.     Alinhe dois ou três cestos de verga junto da lareira, enchendo uma com lenha, outra com mantas e a terceira com os livros que pretende ler nas tardes de chuva que passar em frente à fogueira – embora fiquem bem nas prateleiras, os livros também podem ser excelentes apontamentos decorativos.
6.     Se durante o Verão levou todos os tapetes e cortinados mais pesados para a lavandaria, está na hora de voltar a expô-los. Tecidos quentes, pesados e luxuosos – como o veludo, pele, camurça, pêlo, malha, flanela, lã, chenilha e tweed – sabem bem ao toque, e padrões como o axadrezado escocês ou os adamascados criam um ambiente muito aconchegante.
7.     Só porque começa a ficar frio lá fora não quer dizer que não se possa trazer a Mãe Natureza para dentro de casa! Utilize ramos de árvores com folhas, bagos e espigas de trigo secas para criar um arranjo que é um verdadeiro reflexo do Outono. Coloque o arranjo em frente a um espelho, na sala de jantar ou no hall de entrada, para um impacto ainda mais dramático.
8.     Crie uma grinalda totalmente inspirada no Outono, com recurso a folhas coloridas, cascas de maça e abóbora secas, bagos, bolotas ou castanhas e pendure sobre a lareira ou a acompanhar o corrimão de uma escada. Quer outra alternativa? Faça pequenos furos em várias abóboras miniaturas e pendure-as do teto com fitas em cetim ou ráfia. Como vê, decorar não implica gastar muito dinheiro!
9.     Construa um runner com pequenos ramos condizerem com o ambiente envolvente, ainda melhor – um apontamento decorativo inesperado! de árvore alinhados e colados lado a lado: no fim envolva uma fita em cetim grossa em torno dos mesmos, um em cada ponta, e exponha sobre qualquer mesa para um visual cottage, muito chique!
10.  Coloque uma vela de grandes dimensões no meio de um recipiente de vidro ou de uma taça de madeira, enchendo-a em seguida com maçãs verdes ou vermelhas. Um centro de mesa outonal que é perfeito para qualquer cozinha.
11.  Junte o mobiliário que possa estar mais disperso, criando zonas mais aconchegantes, nomeadamente em torno da lareira. No Outono, espaços muito amplos ou “despidos” podem tornar-se frios e pouco convidativos.
12.  potpourri é marcado por cores outonais, sendo um elemento decorativo perfeito para esta altura do ano, especialmente se for exibido num recipiente deslumbrante ou invulgar.
13.  Mesmo que não saiba tricotar, encha um pequeno cesto com novelos de lã em várias cores. Se
14.  Receba o Outono com uma bonita coroa pendurada na porta de entrada: para começar, compre uma coroa base sobre a qual pode trabalhar, ou então utilize uma forma circular, oval ou até quadrada ou retangular em madeira; pode ainda moldar um cabide em metal para obter o formato desejado. Depois, decore a gosto: com folhas secas de várias cores ou pintadas de dourado com uma tinta em spray; folhas intercaladas com ramos de árvore, bagos, abóboras miniaturas, pinhas, bolotas, castanhas ou nozes. Se utilizou um cabide, aproveite o gancho para prender a coroa no topo da porta com um fio de sediela e algumas tachas.
15.  Não há objeto decorativo mais simples e mais apreciado do que as velas – espalhe-as pela casa ou agrupe em locais como o banheiro ou o hall de entrada. No Outono escolha velas aromáticas como baunilha, airela-vermelha, especiarias, maçã e canela, pinheiro ou qualquer outro aroma que encha a casa com o perfume da estação.
16.  Uma das vantagens do Outono é que o sol continua a dar o ar da sua graça e a aquecer os nossos dias – isto quer dizer que podemos continuar aproveitando as varandas e os pátios. Adequar um espaço exterior a esta época do ano é tão simples como colocar um tapete de sisal ou manta de retalhos no chão, apetrechar cadeiras e poltronas com almofadas e mantas, acender velas e lanternas para os fins de tarde, ligar um aquecedor ou lareira de exterior para momentos memoráveis.

Fonte: eudecoro.com.br



quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Venda de casas aumentou 29,6% no segundo trimestre


As vendas de alojamentos familiares disparam no segundo trimestre e os preços subiram, mostrando o dinamismo crescente do mercado imobiliário. Os dados do Instituto Nacional de Estatística (INE), divulgados nesta terça-feira, revelam que entre Abril e Junho foram transaccionados 31.768 alojamentos, o que representa um aumento de 29,6% face ao mesmo período de 2015 e o número mais elevado desde o quatro trimestre de 2010.

Do total de transacções, 82,9% (26.329) envolveram alojamentos existentes (82,9% do total), o que representa o número de transacções mais elevado para este tipo de alojamento da série disponível (desde 2009). Este número é explicado pela menor oferta de casas novas, mas essencialmente à pressão de compra nos centros históricos das cidades de Lisboa e Porto.

Face ao primeiro trimestre do ano, o crescimento foi mais modesto, de 7,8%.

O valor total das transacções superou ligeiramente os 3,7 mil milhões de euros, um aumento de 29,4% em termos homólogos e de 8,6% por comparação com o trimestre transacto.

O Índice de Preços da Habitação (IPHab) aumentou 6,3% em relação ao trimestre homólogo, ficando 0,6 pontos percentuais abaixo da taxa de variação homóloga observada para os primeiros três meses do ano. “O ritmo de crescimento dos preços dos alojamentos constituiu o segundo mais elevado valor observado nos últimos onze trimestres, momento a partir do qual o IPHab passou a apresentar taxas de variação homólogas de sinal positivo”, destaca o INE.

Os alojamentos existentes voltaram a evidenciar um acréscimo dos preços superior ao verificado nos alojamentos novos (8,5% e 1,5%, respectivamente), sendo que, no caso dos alojamentos existentes, a taxa de variação homóloga é a mais alta da série disponível.

Quando comparado com o trimestre anterior, o IPHab acelerou pelo terceiro trimestre consecutivo, passando de uma variação de 1,8% no 1º trimestre para 3,1%, completando três trimestres de subida consecutiva.

Entre o primeiro e o segundo trimestre do corrente ano, o IPHab aumentou 3,1%, mais 1,3 pontos percentuais que no período anterior. Esta é a segunda vez em que se registam taxas de variação de sinal positivo para cinco trimestres consecutivos, tendo a primeira vez ocorrido no início da série, entre o segundo trimestre de 2009 e o segundo trimestre de 2010. Por tipo de habitação salienta-se o facto de os preços dos alojamentos existentes (3,5%) terem aumentado mais do que os dos alojamentos novos (2,1%).

No segundo trimestre de 2016, a taxa de variação média anual do IPHab atingiu os 5,4%, valor superior em 0,8 pontos percentuais à observada no trimestre precedente. Tal como sucede desde o último trimestre de 2014, os alojamentos existentes continuaram a evidenciar um aumento de preços superior ao dos alojamentos novos (6,7% e 2,9%, pela referida ordem).

Outro indicador que mostra o dinamismo do sector imobiliário é o crescimento do valor total das transacções, que superou ligeiramente os 3,7 mil milhões de euros, um aumento de 29,4% em termos homólogos e de 8,6% por comparação com o trimestre transacto.

Fonte Publico.

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Ranking de valorização de casas em Portugal.

A Região de Leiria onde a Nazaré se situa, está em segundo lugar do ranking nacional de zonas onde as casas mais valorizam, logo a seguir às principais cidades do país e Algarve.

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Portugal volta a estar em destaque nos “Óscares do Turismo”

A gala dos World Travel Awards de 2016 aconteceu este domingo na Sardenha, Itália. Portugal concorreu com 91 nomeações e venceu em 23 categorias a nível europeu. Em 2015, venceu 14.
·         TURISMO
·         VIAGENS
·         SOCIEDADE
·         ESCAPADINHAS
·         LIFESTYLE
A gala dos World Travel Awards de 2016 aconteceu este domingo, 4 de setembro, na Sardenha, Itália. Portugal concorreu com 91 nomeações e venceu em 23 categorias a nível europeu — uma melhoria considerável, depois de 14 primeiros lugares no World Travel Awards de 2015.
A TAP foi considerada a melhor companhia aérea a voar para África e para a América do Sul. A nível de cidades e regiões, Lisboa foi considerada a melhor cidade para cruzeiros da Europa e a Madeira ganhou o prémio de melhor destino de ilhas. Além disso, o Algarve ficou com o galardão de melhor destino de praia.
Vários hotéis portugueses, sobretudo em Lisboa e no Algarve, venceram nas categorias em que estavam nomeados.
Veja a lista completa de vencedores (galeria em cima):
Categoria “Europa”
Categoria “Portugal”
Em breve serão revelados os nomeados para as categorias “Tecnologia” e “Mundo”. Veja os nomeados e vencedores nas diferentes regiões do mundo aqui.

Fonte: observador.pt

quinta-feira, 28 de julho de 2016

Casas & Properties em formação


Sempre na busca de melhorar o atendimento, sempre à procura de novas ferramentas para divulgar os nossos produtos, sempre na vanguarda das novas tecnologias de modo a facilitar o intercâmbio entre cliente comprador e cliente vendedor, a Casas & Properties, fizeram mais uma ação de formação, desta vez sobre o "EGO", o melhor software imobiliário disponível no mercado, que além de toda a gestão de imóveis, contactos e clientes, permite-nos ainda exportar para todas as redes sociais e para mais de 200 portais nacionais e internacionais.

A formação aconteceu nas instalações da Janela Digital, parceiros da Casa Sapo e da IOL, situada no parque tecnológico das Caldas da Rainha.